Cardiorisk®

A aterosclerose e a trombose venosa são as duas maiores manifestações de doença cardiovascular (DCV). Atualmente, sabe-se que alguns fatores de risco para DCV possuem um componente genético significante (herdabilidade), como colesterol total, HDL-colesterol, fibrinogênio, concentração de homocisteina, triglicérides e pressão sanguínea sistólica/diastólica.

De acordo com a International Task Force for Prevention of Coronary Heart Disease, algumas variações genéticas encontradas no metabolismo de lipoproteinas (APOB e APOE), na homeostase da pressão sanguínea (enzima conversora de angiotensina), na hemostase (fator V de Leiden, protrombina, fator XIII, fibrinogênio) e em mediadores de oxidação contribuem para o risco de desenvolvimento de doença cardiovascular.

A interação complexa de parâmetros ambientais e certas variantes genéticas pode contribuir para DCV.

Nesse teste são avaliados genes relevantes envolvidos na disfunção endotelial, hiperlipidemia, hipertensão, inflamação e variações genéticas responsáveis pelo sistema de coagulação, as quais podem conduzir à trombose.